Edição anterior (2527):
sábado, 09 de outubro de 2021
Ed. 2527:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2527): sábado, 09 de outubro de 2021

Ed.2527:

Compartilhe:

Voltar:


  Combustíveis

Gasolina fica mais cara de novo a partir deste sábado

Petrobras também aumentou o preço do gás de cozinha

  

Foto: Marcelo Casal Jr. - Agência Brasil

Rômulo Barroso – especial para o Diário

A gasolina e o gás de cozinha já estão mais caros neste sábado (09/10) nas distribuidoras. A Petrobras anunciou nessa sexta (08) um reajuste de 7,2% nos dois produtos. Isso significa um aumento de R$ 0,20 por litro do combustível (que agora sai das refinarias custando R$ 2,98 por litro) e de R$ 0,26 por kg do gás (o botijão de 13 kg agora será vendido pela estatal por R$ 50,15).

De acordo com a Petrobras, a alta da gasolina foi realizada após 58 dias. Já o gás de cozinha não sofria aumentos há 95 dias. A estatal mantém como política de preços o acompanhamento do mercado internacional e, nesta sexta, a empresa afirmou que os novos reajustes “refletem parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio, dado o fortalecimento do dólar em âmbito global”.

A gasolina em Petrópolis é a sexta mais cara do estado, de acordo com pesquisa de preços feita pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na semana entre 26 de setembro e dois de outubro, o combustível custava R$ 6,812 em média – 18 estabelecimentos foram consultados, com preços encontrados entre R$ 6,690 e R$ 6,999.

O preço médio encontrado em Petrópolis é um pouco mais baixo do que nas três semanas anteriores, mas ainda assim, é mais alto do que o do estado do Rio e também do país.

 

Gás de cozinha: Petrobras aumenta enquanto Alerj aprova isenção de ICMS

No caso do gás de cozinha, o preço em Petrópolis é o nono mais alto do Rio de Janeiro e fica acima da média do estado. O valor de R$ 91,35 representa uma alta 1,59% em relação a semana anterior da pesquisa da ANP. Entre os sete estabelecimentos consultados, o botijão de 13 kg foi encontrado de R$ 84,99 a R$ 95.

O aumento anunciado pela Petrobras vem na contramão da busca por medidas que permitam o acesso ao produto pelas famílias com renda mais baixa ou mesmo a redução do preço. A própria estatal anunciou semana passada estar estudando a destinação de R$ 300 milhões para um programa que dê subsídios a parcela mais pobre da população, enquanto a Câmara dos Deputados aprovou a criação de um auxílio “Gás Social” (projeto que ainda tem que ser analisado pelo Senado).

Na última quarta-feira (06), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou um projeto de lei de autoria do deputado Rosenverg Reis (MDB) que dá isenção de ICMS. O projeto agora vai para sanção ou veto do governador Cláudio Castro, que tem 15 dias para decidir. O impacto da medida ainda precisa ser calculado pela Secretaria de Estado de Fazenda.

“Um botijão custar mais de R$ 100 é um absurdo para quem ganha um salário mínimo, que tem tido dificuldade até para comprar comida. Gás de cozinha é uma necessidade básica, e temos que nos empenhar para trazer alívio ao consumidor. É também uma forma de evitar que mais pessoas sofram acidentes ao tentar cozinhar com álcool”, justifica o deputado.

O que já foi definido pelo governo do Estado é a inclusão de um acréscimo de R$ 80 no benefício SuperaRJ para que famílias fluminense possam comprar gás de cozinha. Esse valor, de acordo com o governador Cláudio Castro, começa a ser pago já neste mês de outubro.

 


Edição anterior (2527):
sábado, 09 de outubro de 2021
Ed. 2527:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2527): sábado, 09 de outubro de 2021

Ed.2527:

Compartilhe:

Voltar: