Edição anterior (2503):
quarta-feira, 15 de setembro de 2021
Ed. 2503:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2503): quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Ed.2503:

Compartilhe:

Voltar:


  VARIANTE DELTA

Delta avança e mais nove casos são registrados em Petrópolis

 

Foto: Geraldo Bubniak - Agência de Notícias do Paraná

Daniela Curioni – especial para o Diário

A Prefeitura de Petrópolis confirmou nesta terça-feira (14.09) que a cidade tem nove novos casos confirmados de infecção pela variante Delta do coronavírus. São cinco homens e quatro mulheres – seis vacinados com a primeira dose e três sem registro de vacina. Os casos foram notificados entre os dias 5 e 26 de agosto. Tratam-se de moradores do Alto da Serra, Bingen, Duques, Duarte da Silveira, Independência, Quitandinha, Roseiral e Corrêas.

No período de quarenta dias, foram identificados 20 casos da variante Delta no município até o momento. Desses, quatro casos evoluíram para quadro grave que resultaram em morte.


MONITORAMENTO

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), informou que o programa de vigilância genômica da Covid-19 realizado no estado identificou na última rodada de análises que 89,18% das amostras eram da variante Delta. Foram sequenciadas  370 amostras coletadas entre os dias 04/08/2021 e 16/08/2021. Os dados mostraram ainda que 10,82% das amostras eram da variante Gamma. 

Na rodada anterior, divulgada em 16/08, quando foram sequenciadas 334 amostras, coletadas entre os dias 24/06/2021 e 31/07/2021, 61,08% eram da variante Delta e 20,66% da variante Gamma. Dessa forma, é possível afirmar que a linhagem Gamma foi a mais frequente de fevereiro até Junho. A partir da detecção da variante Delta, em junho de 2021, esta linhagem aumentou a sua frequência, se tornando a variante dominante no mês de agosto nem todo o Estado do Rio de Janeiro. 

 

DELTA É IDENTIFICADA EM 77 MUNICÍPIOS DO ESTADO

A análise mostrou que a variante Delta foi identificada em 77 municípios das nove regiões do estado. No município do Rio de Janeiro, 96% das amostras sequenciadas eram da variante Delta.

De acordo com o estado, o sequenciamento do coronavírus não é um exame de rotina nem de diagnóstico, é feito como vigilância genômica, para identificar modificações sofridas pelo vírus SARS-CoV-2 no estado e embasar políticas sanitárias.

Desde janeiro, 4.405 amostras foram avaliadas. A SES ressalta que vem monitorando o cenário epidemiológico no estado e colocou  em prática o Plano de Contingência da Covid-19 que prevê a ativação de níveis de contingência a partir de determinados cenários. Além disso, é importante que os municípios continuem avançando no processo de vacinação contra a Covid-19.  

“Temos variantes circulando no Estado do Rio, mas as vacinas tem se mostrado eficazes contra as variantes, elas têm funcionado bem, evitando o agravamento dos casos, as infecções graves. A medida que a vacinação aumenta, temos visto o número de casos graves caírem nas faixas etária vacinadas. O avanço da vacinação vai reduzir ainda mais o número de casos, mas ainda é necessário manter os cuidados. Eu aconselho que mantenham o uso de máscara, a higienização das mãos e evitem as aglomerações”, lembra o infectologista Marco Liserre

CASOS REGISTRADOS 

No dia 03 de setembro  a cidade registrou cinco casos e três óbitos em pacientes que estavam internados na rede pública entre os dias 2 e 16 de agosto. Uma paciente de 19 anos, moradora do Chácara Flora,  uma mulher de 59 anos, moradora de Corrêas. Os três óbitos foram registrados em idosos com 90, 78 e 73 anos - todos com comorbidades - Eles moravam no Bairro Castrioto, Quitandinha e Siméria, respectivamente.

No dia 30 de agosto, três casos da Cepa foram confirmados. Um jovem de 22 anos, morador do Alto da Serra, sem registro de vacina. Ele teve início dos sintomas no dia 4 de agosto e colheu material para o exame no dia 6. O segundo registro foi de uma  moradora do distrito da Posse, de 73 anos, que recebeu as duas doses de vacina. Ela apresentou sintomas no dia 7 de agosto e colheu material para exame no dia 12 de agosto. O terceiro caso, trata-se de uma mulher, de 60 anos, moradora do Castelo de São Manoel, que já havia recebido uma dose da vacina contra a covid-19. Ela apresentou sintomas no dia 2 de agosto e colheu material no dia 9 de agosto.

No dia 17 de agosto, o município registrou a primeira morte pela variante Delta. A paciente era uma mulher de 60 anos, que deu entrada na UPA Cascatinha no dia 20 de julho para o primeiro atendimento, foi internada e teve o óbito confirmado no dia 3 de agosto no Hospital Nossa Senhora Aparecida.

No dia 04/08, os dois primeiros casos no município foram notificados pelo estado. Ambos moradores do distrito da Posse, que se recuperaram da doença.



Edição anterior (2503):
quarta-feira, 15 de setembro de 2021
Ed. 2503:

Capa

Compartilhe:

Voltar:

HOJE

Edição anterior (2503): quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Ed.2503:

Compartilhe:

Voltar: